Minho 300 @ 2019

Atualizado: 2019/03/05

Os brevets do Minho adicionam metros de acumulado…

Por dentro do Brevet…

Começa a ser difícil encontrar novas estradas para percursos pelo norte. Já temos alguns brevets em carteira pelo que, mais tarde ou mais cedo, acabamos a passar pelos mesmos locais. Esperemos que a mudança na hora de passagem e no sentido de deslocamento permitam novas perceções do trajeto pedalado.

Saindo da Delegação da Cruz Vermelha de Marinhas, base habitual, procuramos a estrada mais tranquila que nos leve a Barcelos, primeiro posto de controlo (21km), primeiro pela N13 até Fão e seguidamente pela N205 (percurso do Gerês, 200). Depois, rumo a norte, direção Ponte de Lima pela N204, até ao Largo de Camões com o segundo controlo (51km) em local também já conhecido do Alto Minho, 200.

Após esta primeira incursão pelo interior, regressamos ao litoral, cortando caminho para Vila Praia de Âncora e, pela N13, até Caminha, repegando novamente um local de controlo (92km) do Alto Minho, este com uma vitrina que deixa indecisos os mais gulosos.

Daqui, 78km nos separam do posto de controlo mais longínquo (170km), primeiro pela N13 e, ainda antes de Vila Nova de Cerveira, tomando a Ecopista do Rio Minho. Primeiro até Valença, contornando a Fortaleza pelo norte, e depois até Monção, agora pela antiga via-férrea. A pista deverá ser percorrida com cuidado, sem pressas, posto ser partilhada com outros utentes não automobilizados. O troço desativado da velhinha Linha do Minho exige especiais precauções na passagem das barreiras que disciplinam a passagem não autorizada dos veículos motorizados. Passada a terra da Coca, o percurso até S. Gregório irá ser feito pela vetusta N202, calcorreando o berço do Alvarinho.

Gregório, antigo posto fronteiriço, será possivelmente o local eleito para almoçar. Alternativas, só no regresso, eventualmente em Melgaço ou mais à frente, para os mais afoitos, na Adega do Sossego junto às Termas do Peso. Os primeiros 25km são comuns à ida. Será em Barbeita, passada a Ponte do Mouro, que um desvio à esquerda nos levará para sul percorrendo a M504 até Merufe.

Dizem que nos brevets do Minho se adicionam os metros de acumulado positivo e os troços em calçada. Más-línguas? Apenas 1200m de subida agreste, em piso suavemente atapetado por cubos de granito, que permitirão atingir a cota da N304. Novamente no percurso do Alto Minho, em sentido inverso, até à sandes de presunto que aguarda no controlo da Portela do Alvite (209km). Subida conquistada, a partir daqui será “sempre” a descer: Sistelo, Vilela, para cruzar o Rio Vez, Arcos do dito e Ponte da Barca, já na margem sul do Rio Lima. Saindo da cota do rio, só se pode subir. Passagem por nova Portela, sendo esta de Vade, e descida até ao posto de controlo seguinte, em Vila Verde (261km).

Cerveja ou chocolate? Serão os pecados que nos aliciarão neste controlo.

Já com três quartos do percurso despachados, resta-nos voltar ao ponto de partida, copiando o trajeto do Gerês, 200. Primeiro pela N305, até Vila de Punhe, passando por nova portela, agora das Cabras, e depois do último carimbo (296km), pela N13 até Marinhas.

Cartão assinado, devolvido e esperamos que o dia tenha sido bem passado. Se chover? O Minho é mesmo assim.

Data limite de inscrição | 06 de abril de 2019

Vagas neste momento | 0

Data e hora de realização | 13 de abril de 2019 / 06:00

Carregando mapa ....

Cue sheet | Entregue aos Randonneurs inscritos no Brevet

Localização dos postos de controlo | Marinhas, Barcelos, Ponte de Lima, Caminha, São Gregório, Portela do Alvito,Vila Verde, Vila de Punhe, Marinhas

Tempo limite | 20 horas

Encerramento do posto de controlo de chegada | 02:00

BASE

10Base
  • Cue sheet
  • Track de GPS
  • Cartão de percurso

MAIS

20Mais
  • INCLUI BASE MAIS:
  • Medalha personalizada do Audax Club Parisen

Inscrição

Brevet lotado, workers ride ou as inscrições ainda não estão/já não estão disponíveis